em ,

Casais na WWE: É vantajoso trazer o relacionamento para o ringue?

Rodrigo Rato fala um pouco dos casais mais famosos da WWE.

Ao longo da história da luta-livre americana, inúmeros casais surgiram, se tornaram icônicos. Considerando a jornada louca de um pro-wrestler, a ideia de se casar com um colega de trabalho ou transformar seu parceiro em seu manager é, em teoria, interessante, já que permitirá que o casal passe mais tempo junto. Atualmente, temos exemplos diversos, como Andrade e Charlotte, Gargano e Candice LaRae, Becky Lynch e Seth Rollins… Mas, historicamente, os bastidores do pro-wrestling nem sempre garantem relacionamentos duradouros. Vamos falar aqui apenas de casais que se tornaram casais também no ar, como é o caso de parte dos citados, e analisar se os holofotes acabaram por prejudicar de alguma forma a relação, para o caso de a WWE decidir utilizar a relação entre “El Idolo” e a “Queen”.

Talvez o casal mais famoso da história da WWE, Randy Savage e Miss Elizabeth chegaram até mesmo a “casar” no ringue, durante o Summerslam de 1991, no que é considerado um dos momentos mais marcantes da empresa (e que, como todo segmento de casamento em um ringue, terminou com um ataque a Randy Savage). O relacionamento, entretanto, acabaria no ano seguinte. Como se sabe, wrestlers são conhecidos pela promiscuidade e Elizabeth era uma das poucas mulheres numa época onde não havia uma divisão feminina forte na WWE. Os relatos são de que o ciume excessivo de Savage e uma suposta traição de Elizabeth com um produtor amigo de Hogan teriam sido os motivos do divórcio. Entretanto, os dois voltaram a trabalhar juntos na WCW, durante a década de 90, indicando que os dois resolveram seus problemas. Elizabeth voltaria a se casar com um lutador no início dos anos 2000, quando casou-se com Lex Luger. A relação era tóxica, com Luger tendo comportamentos abusivos e relatos de agressão. Elizabeth faleceria em 2003, devido a intoxicação após misturar medicamentos para dor com vodca. Luger havia sido a pessoa que ligou para a polícia na ocasião…

Outro casal famoso da década de 90 foi Sunny e Chris Candido. Falando no termo mais simples possível, Candido talvez seja o maior “corno manso” da história da luta-livre profisisonal. Se Luger é um exemplo de “homem lixo”, Sunny é o melhor exemplo possível de “mulher lixo” em um relacionamento na história do PW.

Resultado de imagem para Sunny e Chris Candido
Foto: Youtube/Reprodução

O casal se conheceu ainda na escola, e iniciaram a carreira juntos. A própria Sunny fala abertamente sobre ter se relacionado sexualmente com inúmeros lutadores, inclusive com toda a Kliq – grupo que exercia influência nos bastidores da WWE e era liderado por Shawn Michaels e Kevin Nash, e até mesmo com wrestlers casados como Davey Boy Smith. Candido sabia de (quase) tudo, e sofreu com depressão durante um longo tempo, chegando, de acordo com Bam Bam Bigelow, a escrever um bilhete suicida. O irmão de Candido, Johnny Candido, chegou a confirmar que o irmão chegou a tentar suicídio devido aos danos psicológicos causados por Sunny. Mesmo com todos os problemas, o relacionamento durou até a morte precoce de Candido, em 2005. Ele morreu de pneumonia, aos 33 anos.

Outro caso famoso de traição entre casal que aparecia junto nos holofotes foi o de Lita. Uma dos ícones da luta-livre feminina no final da década de 90 e início dos anos 2000, ela teve um longo relacionamento com Matt Hardy, que terminou de forma infame. Lita havia traído Matt com Edge, na época casado com alguém de fora dos negócios. A situação acabou se tornando uma das mais famosas storylines da época, com Matt sendo demitido, recontratado e Lita e Edge se tornando oficialmente um casal na TV.

No fim das contas, a história toda fez Edge se tornar uma estrela, catapultando-o ao patamar de um dos maiores heels da história, enquanto Lita teve de lidar com o ódio do público pelo resto de sua carreira, optando até mesmo por se aposentar por não conseguir mais aguentar as reações negativas do público, mesmo com a storyline só ocorrendo após os três já terem conversado e se entendido. Lita acabou ficando completamente exposta por conta do ocorrido. Atualmente, Matt Hardy é casado com outra lutadora, Reby Sky, e Edge casou-se com Beth Phoenix. Lita, por sua vez, chegou a namorar CM Punk, mas atualmente está solteira.

Resultado de imagem para lita and edge
Foto: WWE.com

O triângulo amoroso entre Kevin Sullivan, Nancy e Chris Benoit começou como uma storyline, mas acabou de maneira trágica. Nancy, cujo nome de ringue era simplesmente “Woman”, foi casada com Sullivan de 1985 a 1997. Ela aparecia frequentemente como valet de Sullivan, até que o mesmo teve a brilhante ideia de fazer, em 97, uma história onde a mesma a traía e iniciava um relacionamento com Chris Benoit. Tudo ia bem até a relação entre Nancy e Chris se tornar real fora dos ringues. Sullivan e Nancy acabariam se divorciando e Sullivan perderia uma luta de aposentadoria para Chris, encerrando a rivalidade.

Nancy se tornaria uma Benoit oficialmente em 2000. O final da história 90% das pessoas que acompanham luta livre sabem, mas para quem não sabe, aí vai uma versão resumida dos fatos: Chris Benoit supostamente abusou do uso de esteróides, e, em 2007, teve um acesso de fúria que o levou a matar Nancy e um de seus filhos, cometendo suicídio em seguida.

O que não é muito falado é que, em 2003, Nancy chegou a pedir divórcio alegando sofrer tratamento cruel, e tera até mesmo colocado uma ordem de restrição contra o lutador, o que indica que o comportamento de Chris já era errático desde antes de 2007. Apesar disso, há também rumores de que Kevin Sullivan, cuja personagem sempre esteve ligada ao satanismo, teria sido responsável pela morte da família Benoit, já que supostamente haveriam evidências que comprovariam que Chris não teria cometido suicídio, mas sim sido assassinado.

E como não falar de casais e não citar Triple H e Stephanie McMahon, o casal mais poderoso da WWE atualmente? Casados desde 2003, os Levesque começaram a se relacionar de verdade em 2000, enquanto haviam se tornado um casal durante os shows. Apesar de serem um exemplo de longevidade em termos de relacionamento, é preciso lembrar que Triple H estava namorando Chyna quando começou o relacionamento com Stephanie. Pois é, nem tudo são flores.

Foto: Twitter.com/PunkBalor

Ufa, muitos casos de traição e agressões, não é? Há ainda outros exemplos, como a relação de Debra e Stone Cold Steve Austin, que durou três anos, foi explorada ao longo dos shows da WWE na época e terminou com Debra acusando Austin de agressão física em diversas ocasiões. Mas vamos agora olhar para os casos positivos, que mostram que há esperança para relacionamentos entre lutadores que ganham os holofotes da WWE.

Booker T e Sharmell, por exemplo, se conheceram desde os anos de WCW. Se casaram em 2005, e a partir de então Sharmell passou a acompanhar Booker T sempre em suas lutas, como valet. O relacionamento segue firme até hoje, mostrando ser perfeitamente possível conciliar uma relação on-screen fora dos ringues.

Se a ECW teve Sunny passando o rodo enquanto namorava Cândido, há um caso de relacionamento saudável que dura até hoje. Introduzida em 1995 como uma valet de Raven que buscava vingança contra Dreamer pelo mesmo tê-la rejeitado por ser gorda na adolescência, Beulah McGillicutty acabaria iniciando um relacionamento de verdade com Dreamer, que resultou num casamento em 2002. O namoro acabaria incorporado ao show já em 1996, e ao longo do périodo em que a ECW se manteve viva, foram diversas as lutas inter-gender entre o casal e equipes como Shane Douglas e Francine.

O casamento entre Daniel Bryan e Brie Bella foi utilizado inúmeras vezes pela WWE, tanto em storylines como para promover os Reality Shows que Brie Bella esteve envolvida ao longo da última década. Não só se mantiveram juntos como recentemente tiveram uma filha, e não há qualquer relato de problemas no relacionamento.

Resultado de imagem para daniel bryan brie bella wedding
Foto: WWE/Heather McLaughlin

De certo modo, é possível citar até mesmo Vince e Linda McMahon. Casados desde 1966, nunca se divorciaram, e Linda já teve diversas aparições no início do século como figura de autoridade. A WWE chegou até a ser utilizada como veículo para promover a carreira política da McMahon em algumas ocasiões. Particularmente, é quase um milagre Vince McMahon estar casado há tanto tempo, considerando o famoso temperamento bizarro do chefão da maior empresa do ramo.

Se vamos citar os McMahon, também devemos citar os Runnels, ou deveria dizer os Rhodes? Cody e Brandi se conheceram na WWE, quando Brandi ainda atuava como repórter, e estão casados desde 2013. Hoje, é impossível não pensar em um quando se fala do outro. O trabalho de ambos na AEW se assemelha ao papel exercido pelos Levesque na WWE, o que pode indicar também que será um relacionamento duradouro, tal qual seus paralelos.

Sendo assim, por mais que o mundo do wrestling seja promiscuo e existam inúmeros casos de traição, é possível que um casal deste universo se mantenha junto. Só é preciso ter cuidado com a forma como o relacionamento é exposto nos shows, já que algumas coisas, como todo o péssimo triângulo amoroso envolvendo Rusev, Lana e Lashley, podem acabar desgastando a relação em prol do entretenimento. Que histórias bizarras como a protagonizada pelo búlgaro parem de ser utilizadas pela WWE, já que, no final das contas, acabam por ser mais um desperdício de talentos do que algo que realmente cative o público.

Por Rodrigo Peret

Redator e colunista do Wrestlemaníacos. E ídolo do Izac Luna.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *