em ,

Editorial: É hora de dar um basta!

Escrevo esse texto às 22 horas do dia 31 de maio de 2020.

Por que dizer isso, no começo do texto, é algo tão importante?

Porque é hora de darmos um basta.

Basta de assistirmos, inertes, a tudo o que acontece em nosso país e não assumirmos, com sinceridade de coração, uma posição diante de tamanhas atrocidades feitas por uma administração que perdeu suas rédeas desde o momento o qual lhe foi entregue a faixa de governante central.

Basta de dizermos que somos fãs de luta livre e esquecermos que, no misto de arte, entretenimento e esporte, existe a liberdade de criação e desenvolvimento. Liberdade essa que nos é tão ameaçada nos dias atuais.

Basta de atenuarmos grande parte dos dirigentes, lutadoras, lutadores e demais participantes do meio da luta livre, com maior proximidade da criação e elaboração dos shows que tanto nos alegram, dentro e fora do Brasil, não estabelecer posição firme contra as atrocidades que nos perigam na sociedade.

Basta de observarmos influenciadores de luta livre, em todas as redes sociais possíveis, serem praticantes de atitudes machistas, racistas, misóginas, misândricas, desumanas e qualquer outro adjetivo negativo que queira colocar aqui, e não tenha o menor senso de reflexão para se redimir do que faz.

Basta de sermos testemunhas de pessoas que, supostamente, amam a mesma luta livre que nós, e, ao invés de aprender, através do que se vê, valores para a vida, aprendem e proferem palavras para a destruição do outro, sem o menor remorso para tal.

Presenciamos a nossa nação indo ao chão, por conta de atitudes sem reflexão. Por conta de um olhar em que quer descolar a luta livre da sociedade. Por medo de que pessoas se voltem contra elas. Enquanto o nosso medo nos encerra de caminhar, pessoas morrem por causa de sua cor de pele, por sua preocupação com a condução de um governo que, mesmo eleito democraticamente, se engendrou aos caminhos de todas as práticas que são inimigas da humanidade.

Nós, do Wrestlemaníacos, somos terminantemente contra este e qualquer outro governo que se apoia em não respeitar o próximo e dissemina a cultura da morte em pensamentos, palavras e atos destrutivos. E, parafraseando Jarbas Duarte, lembremos sempre que “luta livre é vida”. Por isso, precisamos “dar mais vida aos nossos filhos”, netos e demais gerações.

Por Joao Aranha

Gosto de lutinha a um tempo. Escrevo sobre lutinha a um tempo. Comentei lutinha na TV por um tempo. Ídolo do Rato e do Izac Luna nas horas vagas.

11 Comentários

Deixar um comentário

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *