em ,

Espaço Livre: Será que sou um hater da WWE?

Olá, meu nome é Leonardo, eu tenho 26 anos e acho que sou um hater da WWE. Antes de qualquer coisa, preciso lembrar que não foi sempre assim. Acompanhando Pro Wrestling desde 2006 posso dizer que vi muita coisa boa produzida pela empresa. Pude pegar o finzinho da carreira de Chris Benoit, um pedacinho do pós morte do Eddie Guerrero. Eu vi Kurt Angle, Triple H, Shawn Michaels, Undertaker, Kane, Batista, Edge e CM Punk no auge.

Mas de uns tempos para cá tem se tornado cada dia mais complicado defender o que está sendo apresentado semanalmente. Antes, o booking era complexo e você era capaz de ver as storylines sendo compostas com sentido e norte de para onde iam. Às vezes demoravam meses sem perder o sentido ou sem segmentos estúpidos e aleatórios. É preciso lembrar que algumas coisas melhoraram muito nesse meio tempo, como por exemplo a divisão feminina. E isso é um mérito da WWE, mesmo que a semente dessa “evolução feminina” não tenha sido plantada por ela.

Acho que tenho algum conhecimento para dizer que não se trata de um simples saudosismo quando comparo o produto que tínhamos até meados de 2007 ou 2008 com o de agora. A incapacidade de tornar estrelas de hoje em dia em ícones da cultura popular como antes fizeram com Hogan, Austin, John Cena e tantos outros é incrível. E às vezes parece que existe uma vontade de explorar tudo que nasce de forma orgânica para os fãs e/ou tornar em algo negativo ou algo insuportável. Até mesmo as coisas legais com o tempo se tornam previsíveis ou estúpidas.

WWE

Na minha época de novo fã, os haters detestavam John Cena. O tempo passou e o odiado da vez se tornou o Roman Reigns. Mas, talvez o problema não esteja nesses wrestlers em si, mas nessa demasiada vontade de criar heróis que não representam o público. Vince parece perdido em criar algo contemporâneo e que agrade essa geração, e quando alguém consegue por si só, fazem de tudo para interromper. Aí tudo se torna frustrante.

A compania cada vez mais rica e mesmo assim não usa os talentos que tem de forma correta. Talvez seja o elenco mais repleto de talentos de todos os tempos, mas o melhor que conseguem colocar é uma luta com olho fake bizarro. E aí que chego no ponto em que queria com esse texto: Material humano de sobra sendo desperdiçado.

WWE

Conseguem a façanha de criar um programa que entrega tudo que os fãs gostam. Histórias cativantes, bons personagens, produção ótima, in-ring impecável. Aí tratam como a terceira brand. A série B da WWE, que é o NXT. Um lugar onde você coloca o El Genérico ou o Shinsuke Nakamura e ensinam a eles como fazer Pro Wrestling do jeito certo. E até acho válido ensinar esses caras sobre microfone, ângulos de câmera e etc., mas os shows principais poderiam ter esse mesmo espírito. Vince não entende. Vince não parece disposto a entregar o que os fãs querem que entregue.

É como se você curtisse muito comer em um restaurante, mas a comida que presta eles só servem nas quartas, porque é o dia que o restaurante em frente abre as portas. No resto dos dias da semana eles servem bosta para quem quiser consumir. E muita gente come bosta sem se questionar, mas é justamente isso que eu detesto na WWE em 2020. Eles eram para ser a regra que dita o que presta ou não em termos de Wrestling. Eles que tinham que entregar AJ Styles contra Adam Cole, Samoa Joe contra Keith Lee, Orton contra Ciampa. Algo para ser bom ao invés de só fazer dinheiro.

A compania manda um monte de bons performers para salvar uma grana, sendo que no balanço ela acumulou muito mais do que queria economizar. Não oferece direitos básicos, trata com descaso e desrespeito pessoas que perdem o tesão por estar no ramo em função de trabalhar lá dentro. E depois as pessoas ficam irritadas se você foge para o show concorrente.

AEW

E é por isso que eu sempre vou ter paciência com a All Elite. Com a New Japan, com a Ring of Honor, até mesmo com a Impact. Porque eles vêem o que o público quer e colocam. Eles entendem o motivo de estarem ali, muitas vezes com poucos recursos e tentam entregar. Não que estejam imunes à críticas, a própria AEW tem muita coisa por melhorar. Mas é menos de dois anos na TV. Pessoas que eu, mesmo estando imerso nesse negócio não conhecia.

De volta à WWE, Vince sabe o que o povo quer. Ele sabe o que fazer. São décadas no ramo, sabendo que mesmo indo contra aquilo que quer, se é o certo para se fazer dinheiro então que se faça. Ele só não parece disposto a fazer. Mas a resposta está vindo. AEW fazendo 900 mil viewers numa semana. Batendo o RAW na demografia chave. Arrisco dizer que até a Royal Rumble de 2021 eles passam. E se continuar do jeito que está, pode até ser antes.

E apoiar algumas práticas da WWE sabendo delas é ser cúmplice das babaquices que fazem. Mas, mesmo aos olhares dos mais críticos eu sendo apenas mais um hater, tenho que deixar claro que eu quero que melhore. Eu espero que melhore para termos um Wrestling melhor. Para que os wrestlers tenham condições dignas de trabalhar e criar momentos épicos como alguns que guardo com saudade na memória.

O texto “Será que sou um hater da WWE?” foi feito pelo leitor Leonardo. Seu perfil no Twitter pode ser visto clicando aqui.

O Espaço Livre é um quadro onde os leitores do Wrestlemaníacos podem enviar textos para expor suas ideias no site. Os textos precisam ser enviados através das mensagens privadas em nosso Twitter. Antes de serem publicados, os textos serão avaliados pela equipe ao checarmos se eles estão em concordância com as diretrizes do site.

Por Vinícius

Seeking Higher Things.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *