em ,

Na Teia do Aranha #95 – Passa ou Fica?

Salve, povo!

Em mais uma reflexão neste espaço, venho falar sobre AEW e a sua possibilidade de que ela supere a WWE como líder do mercado. É possível ou “nunca serão”?

Leiam, reflitam, comentem e sugiram temas para os próximos textos.

Forte abraço e valeu!

Passa ou Fica?

Alguns dias atrás, a All Elite Wrestling (AEW), empresa de luta livre estadunidense fundada por Shad Khan e seu filho Tony Khan a pouco mais de um ano, promoveu o seu (aparentemente) maior evento da promoção no ano, o “All Out”, com um card repleto de lutas com uma mescla de lutadores consagrados e promessas que estão se consolidando no meio. O sucesso de crítica e público, aliado a um investimento pesado por parte dos donos da marca – tanto dentro quanto fora dos ringues -, traz um concorrente muito interessante à WWE no mercado de pro wrestling mundial.

É claro que, em meio a algo tão grande surgindo dentro do meio faz com que os fãs do mundo inteiro não só conheçam a AEW, como comecem a voltar os seus olhares prioritários somente para ela, deixando a WWE de lado. Para outros, se tornou até a grande chance de voltar a assistir a luta livre dos Estados Unidos, pois, depender somente da WWE na televisão não trazia o ânimo suficiente para tal. Diante de tanta concorrência, a pergunta que sempre surge nos meios de comunicação especializados e nas redes sociais é: será que a AEW vai superar, em âmbito geral, a WWE permanentemente, tirando a histórica liderança da empresa de Stanford, que se mantém desde a derrocada da WCW?

Primeiro, temos que pensar que o AEW Dynamite (show principal) já tem superado a audiência do WWE NXT (terceiro show da casa e o qual é transmitido no mesmo horário) em várias semanas, a ponto de levar a direção da empresa dos McMahon a cogitar mudar o horário do NXT, para que os programas não concorram mais. Isso é um sinal legítimo de que a promoção da família Khan está se solidificando como uma concorrência legítima e incômoda para a WWE em amplos aspectos, e quem ganha, em geral, é o público, que vê a criatividade de ambas as marcas aflorando, em busca de nos atrair para as telas, no intuito de nos fidelizarmos, a ponto de gerar discussões acaloradas (e inúteis) de qual é a melhor.

Outro ponto importante a se considerar é que a WWE tem algo que a AEW vai demorar muito tempo para conseguir alcançar – se conseguir isso -, que é a tradição dentro do mercado que atua. Dentro da área de gestão, a tradição é vista como um fator invisível que move vorazmente as pessoas em direção ao produto. Um exemplo é você ir ao mercado e comprar um pacote de BomBril porque, mesmo ele sendo a palha de aço mais cara no meio e existir outras palhas de aço mais baratas e, às vezes, até com qualidade igual ou superior ao BomBril, é o pacote amarelo que está ali a mais tempo e que você usou, seus pais, avós e gerações anteriores usaram e gostaram. Aí, você compra.

É a mesma coisa com a WWE. Ela está nesse meio desde a década de 1950 e se criou como WWF em 1980. Quando nós conhecemos a luta livre, a WWE já estava aí e muitos de nós provavelmente conhecemos a ela antes de qualquer promoção nacional de pro wrestling. Por mais que você não tenha simpatia total pelo que acontece atualmente, mas, você dá um jeito de assistir um pouco dela, saber o que se passa e, mesmo que ainda tente se esconder de alguma forma, sempre chega a ti. E isso é algo que a AEW precisará caminhar bastante para alcançar.

Diante disso, tendo a acreditar, neste momento, que a All Elite Wrestling faz um bem para o mercado da luta livre, se firmando como uma rival importante no meio. Contudo, não tem como saber se, no geral, a AEW vai superar a WWE no mercado permanentemente, mesmo que saibamos que estamos em tempos de relacionamentos de mercado extremamente líquidos, supérfluos e frágeis. Em muitos pontos, superar ou não acaba se tornando algo extremamente subjetivo e pessoal.  E no seu caso? A AEW pode superar a WWE de uma vez por todas? Por quê?

Por Joao Aranha

Gosto de lutinha a um tempo. Escrevo sobre lutinha a um tempo. Comentei lutinha na TV por um tempo. Ídolo do Rato e do Izac Luna nas horas vagas.

Um comentário

Deixar um comentário
  1. São muitas variáveis a se analisar. Eu acredito que terão um reconhecimento interessante na mídia americana daqui uns cinco anos. Mas, para chegar ao nível da WWE e talvez até ultrapassá-la? Isso pode demorar o dobro do tempo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *