Espaço dos Apoiadores Streak
em

The Streak: Uma coincidência de um milhão de dólares – Espaço dos Apoiadores

Estreia de conteúdo novo aqui no Wrestlemaníacos: É o Espaço dos Apoiadores. Quem participa do nosso financiamento coletivo e apoia o nosso projeto tem um local exclusivo aqui no site! Acesse o nosso Apoia-Se, conheça nossos planos de apoio e ajude o site a partir de R$8! Na estreia do quadro, o tema é Undertaker e sua streak! Leia, comente e compartilhe!

The Streak: Uma coincidência de um milhão de dólares

Por Emanoel Victor.

Em maio de 2020, houve uma reviravolta no mundo do Pro-Wrestling. Mark Calaway, ou como nós conhecemos melhor, The Undertaker, estrelou um documentário onde, pela primeira vez em seus 30 anos, apresentará quem é o ator por trás do chapéu, sobretudo e o seu misticismo.

Em 2010, Undertaker começou a mostrar possíveis indícios de que sua carreira estava chegando ao seu término. Após seu retorno no Summerslam para confrontar Kane, ambos mantiveram uma feud até o PPV Bragging Rights  (para os que não conhecem, era um evento focado em uma disputa entre o Smackdown vs Raw), onde foi derrotado em uma Buried Alive Match, após a interferência do Nexus. Desde então não tivemos mais aparição do DeadMan até fevereiro de 2011, quando iniciou o seu Road To Wrestlemania. Após o evento, The Undertaker passou a ser um wrestler part-time, lutando somente uma vez ao ano para defender a Streak na Wrestlemania, mas era visível que a qualidade de suas lutas estava caindo, devido a sua idade e o acúmulo de lesões que uma cobraram seu preço.

No passar da década, Undertaker acumulou várias cirurgias para corrigir suas lesões, duas derrotas na Wrestlemania e um questionamento: quando seria sua última luta? Porém, ano após ano, alguns meses antes do maior evento de todos, em algum momento, soava o sino que todos os fãs (inclusive eu) esperavam ansiosamente ser tocado para poder ver ele dando a sua lenta caminhada até o centro do ringue e declarar sua presença mais uma vez. Apesar da idade, lesões e desgastes, o que fez Mark abrir os olhos foi uma luta que poderia ter resultado em uma catástrofe: quando Goldberg aplicou nele um Jack Hammer (um suplex) mal executado no PPV Super Showdown, em 2019.

Em 2020, Undertaker estava se preparando para mais uma luta, dessa vez contra AJ Styles, porém, devido a pandemia, a WWE foi obrigada a reformular todo seu evento: não houve grandes estruturas, estádios e centenas de milhares de pessoas prestigiando as lutas. Havia apenas uma arena vazia no seu centro de treinamento, a feud entre AJ e Undertaker também passou por mudanças – ela foi alterada para uma Buried Alive Match em outro espaço e trazendo de volta a de sua antiga gimmick de American Bad-Ass.

Após a Wrestlemania, fomos presenteados com um documentário, onde, pela primeira vez, Mark Calaway iria quebrar de vez sua gimmick e falar não só de sua vida particular, mas sobre Undertaker por trás das câmeras, desde sua primeira aparição no Suvivor Series de 1990. No total, foram lançados cinco episódios, e a medida que avançava, mais se especulava sobre o verdadeiro significado por trás de tudo aquilo: era uma mensagem de despedida? Não haverá mais Deadman, agora só será American Bad-Ass?

A resposta veio no quinto episódio com o título de “Revelations”, onde Mark Calaway, confirmou o que os fãs mais temiam: afirmou que está confortável em não lutar mais, pois sua Streak estava encerrada e não havia mais o que ser conquistado. Em novembro de 2020, completou-se 30 anos desde seu debut na WWE, e no Suvivor Series, Mark colocou suas botas, sobretudo e chapéu para oficialmente declarar sua aposentadoria.

Além de ter se tornado mais ativo nas redes sociais, seja no de sua esposa Michelle McCool (também ex-lutadora da WWE) ou em seu recente perfil, ele vem aparecendo em entrevistas, podcasts e comerciais. Em dezembro de 2020, Mark foi entrevistado pela segunda vez por Steven Austin em seu Broken Skull Podcast, promovido pela WWE Network. No decorrer dos tópicos da conversa, ao ser questionado sobre sua Streak, Undertaker afirma que até sua decima vitória contra Ric Flair, na Wrestlemania 18, sua invencibilidade havia passado completamente despercebida.

Desde sua primeira aparição, o personagem ganhou a atenção de todos pela sua theme song, roupas, maquiagem, história, força e agilidade (apesar de seu tamanho) e Vince McMahon, a mente por trás da criação de Undertaker ,não poderia imaginar que após 10 anos, teria criado sem querer, a sua maior mina de ouro na história do Pro-Wrestling.

          Em um mundo onde wrestlers vem e vão, buscando notoriedade o suficiente para serem merecedores de cinturões e deixar sua marca para que  futuramente tenha uma vaga no Hall Of Fame, graças a um golpe de sorte, Mark Calaway, que em 1990 após ser demitido da antiga WCW, por acharem que ninguém pagaria para vê-lo lutar, não só conseguiu se manter relevante por 30 anos, mas também ganhou vários prêmios e reconhecimentos dentro e fora do pro-wrestling, como, por exemplo, o jornal The Daily Mirror classificar a Streak como o terceiro maior record no mundo dos esportes e estar no Guinness World Records.

          Pelo seu crescimento orgânico e despercebido, há uma chance mínima de que essa Streak possa ser replicada ou até mesmo superada, diferente de Ric Flair, que teve seu record de World Champion batido por John Cena. Undertaker foi o wrestler que foi além das expectativas, e Mark Calaway foi o principal responsável para fazer com que isso acontecesse, graças a seu comprometimento com a empresa e a seu personagem, assim sendo recompensado de forma que, não importa a quantidade de cinturões conquistados ou que seja o Main Event da Wrestlemania, para mim ele sempre foi e será a maior estrela deste esporte.

Apoie o Wrestlemaniacos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…