em ,

WWE tem 1 bilhão de receita em 2021

Ontem a WWE realizou sua apresentação quadrimestral de finanças para seus acionistas e outros funcionários da parte executiva e revelou o fechamento das contas do ano de 2021, que mostrou que a empresa de Vince McMahon atingiu sua maior receita da história da companha: $1.095 bilhão de dólares durante o ano inteiro, um crescimento de 12% se comparado com o ano de 2020.

Retirando suas despesas e considerando apenas o lucro, a empresa sediada em Connecticut também atingiu seu recorde de ano mais lucrativo da história, com $180.4 milhões de dólares a mais em seu caixa, superando por muito todas as expectativas de analistas conhecedores da área.

No gráfico abaixo você confere as receitas da WWE nos ultimos 27 anos, com a barra em verde-claro sendo o ajuste do valor para a inflação atual dos Estados Unidos.

Receita anual da WWE por ano. Via: Brandon Thurston/Wrestlenomics

A WWE enviou também um comunicado oficial de Vince McMahon para falar sobre a marca atingida e também os planos para 2022.

“Em 2021 nós atingimos a significante marca de mais de $1 bilhão em receita, pela primeira vez na história da companhia. Nós termianos o ano com uma forte performance dentro da nossas linhas de mercado que refletiram em um aumento de audiência com a distribuição do nosso conteúdo em novas plataformas digitais, como o Peacock (Serviço de streaming da NBC nos EUA) e o retorno dos fãs aos eventos ao vivo. Agora nós esperamos a execução de iniciativas chave para o próximo ano, como o licenciamento de conteúdo online para mercados internacionais, a monetização de algumas de nossas séries originais e a continuidade na estratégia de realizar os Live Events Premium da WWE em estádios (E não mais em arenas, como era antes), para expandir o alcance de nossas marcas e acrescentar valor ao nosso conteúdo.”

Vince McMahon, CEO.

Segundo o Brandon Thurston do site Wrestlenomics, vale observar que durante a apresentação a WWE também mostrou um gráfico de receitas por região geográfica. Vale observar que ao contrário dos impactos que a investida do governo da Arábia Saudita gerou nas receitas da empresa em 2018, quem garantiu o alcance da meta de $1 bilhão de dólares em receitas foram os novos contratos da WWE com a NBC e a Fox. Quanto à nossa América Latina, seguimos sendo o mercado que menos gera receitas para a empresa, com 12 milhões de dólares no ano de 2021.

Receita anual da WWE por região geográfica. Via: Brandon Thurston/Wrestlenomics

Outro ponto que vale observar também é a quantidade de lutadores sob contrato pela empresa durante o ano de 2012, devido a grande quantidade de demissões que aconteceram em 2020 e 2021, com os demitidos revelando que a justificativa que John Laurinaitis, Gerente de Relacionamentos com Lutadores da WWE, diz que são apenas questão de corte de gastos. De 2020 para 2021 a WWE diminuiu de cerca de 300 lutadores sob contrato para cerca de 250 lutadores. Vale observar a expansão do número de talentos da empresa de 2016 em diante, quando a WWE contratou muitos talentos em destaque de empresas menores, o que impactou no crescimento que as empresas estavam tendo naquele momento, como a Progress no Reino Unido e até a NJPW no Japão.

Lutadores sob contrato da WWE por ano. Via: Brandon Thurston/Wrestlenomics

Essas são algumas das informações reveladas pela WWE na sua reunião de finanças quadrimestral. Você consegue encontrar outros pontos abordados pela empresa, em inglês, tanto na thread feita pelo jornalista Brandon Thurston no Twitter quanto no site Wrestlenomics.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Loading…